accessible

    Primeira estação de captação, tratamento e bombeamento de água da cidade e do interior paulista. A construção é de 1887, ocupando uma área de 12 mil metros quadrados, ao lado do salto do Rio Piracicaba, o local é rico em detalhes arquitetônicos como arcos, pisos e paredes de pedras, aquedutos centenários e antigas tubulações de ferro.



 No começo ainda não era possível abastecer as residências com água encanada, pois esta chegava apenas ao chafariz da praça central, onde ocorreu a inauguração do "repuxo do jardim" em 26 de maio de 1887.
  Meses após a experiência com o chafariz, deu-se início ao abastecimento das primeiras casas com 250 litros de água por dia. No ano seguinte já haviam aproximadamente 800 casas abastecidas com água. Naquela época, ter água encanada era privilégio de poucos e, segundo historiadores, a torneira ficava na sala das residências.

    O primeiro sistema de abastecimento de água funcionou até por volta de 1.927, quando precisou passar por algumas adaptações e receber melhorias no tratamento da água da cidade. Além da limpeza da água foi adicionado o tratamento químico, devido a um surto de febre tifóide e outras doenças provenientes da água do rio, que recebia esgoto doméstico. Foi nesse ano que se instalou em Piracicaba o primeiro serviço de tratamento de água.
    Ao longo dos anos e com o crescimento da cidade, para atender a demanda, várias ampliações foram feitas na estação de tratamento que funcionou até o final da década de 1.940, quando foi construída uma nova estação de tratamento de água. Chamada ETA II - Luiz de Queiroz, é bem maior e mais moderna e com processo de tratamento de água avançado a qual funciona até hoje.
    A partir daí, a antiga estação (hoje Museu) serviu apenas para captar água do rio Piracicaba e bombear para a ETA II.
    Até 1982 toda a água que abastecia a cidade era captada do Rio Piracicaba. Hoje capta-se cerca de 20% do rio Piracicaba e 80% do rio Corumbataí.
    Agora, Piracicaba também conta com a Estação de Tratamento de Água do Capim Fino, responsável pela maior parte da água tratada consumida na cidade; capaz de tratar, atualmente, mais de 1.000 m³ de água por segundo.
    Em 1898 teve início a construção do primeiro sistema de coleta de esgoto doméstico (despesajo in natura no rio) e em 1900 já havia 412 residências ligadas à rede coletora. Três anos após seu início, as obras foram concluídas com o dobro de dimensões projetadas: um coletor principal com 3.707 metros de extensão, o secundário com 1.321 metros e vários terciários, somando 17.456 metros. Mais informações: http://www.miranteppp.com.br/

O MUSEU DA ÁGUA ATUALMENTE

    Inaugurado em 25 de novembro de 2000 ocupando uma área de 12.000 m², o Museu da Água de Piracicaba além de ser um espaço que valoriza a educação ambiental, também traz consigo valores histórico-culturais importantes sobre a implantação do primeiro serviço de captação e distribuição de água encanada para o abastecimento doméstico, implantado no interior do estado de São Paulo.
    Espalhadas pelo Museu, existem várias peças que foram usadas no sistema de distribuição de água. Algumas antigas, como a carrocinha que servia para transportar ferramentas e peças utilizadas nas ligações de água ou consertos diversos. Outras peças mais recentes, como o eixo com rotor de uma bomba d'água, registros, tubo e flange usados nas redes de água.

    Inaugurado em setembro de 2005, os aquários podem tratar da relação conflitiva entre homem e natureza, dos problemas da poluição e da pesca predatória e fora de época. O local onde encontram-se os aquários, foi uma antiga oficina para manutenção das peças e ferramentas usadas na estação.


    Avenida Beira Rio, 448
    Telefone: (19) 3432-8063
    museu.agua@semaepiracicaba.sp.gov.br